O Que Torna Alguém um Grande Líder?

O Que Torna Alguém um Grande Líder?

O Que Torna Alguém um Grande Líder?

Quando você pensa em grandes líderes, qual é o primeiro adjetivo que vem à sua mente? Carismático? Atencioso? Empático?

Preste atenção como nas propagandas de candidatos a prefeito e governador, eles sempre são filmados conversando com os eleitores. Além da piada pronta, existe aí uma mensagem implícita para cativar o eleitor: eu escuto você. Eu vejo você. Eu me coloco em seu lugar.

Independente se estes políticos são ou não a imagem que estão vendendo, seus assessores de marketing sabem o que fazem. Uma das primeiras coisas que um bom líder precisa é saber escutar, mais do que falar. Só depois de ter compreendido o interlocutor, o diálogo se estabelece. Por prestarem atenção nas pessoas com quem lidam, grandes líderes sempre nos parecem carismáticos, atenciosos e empáticos.

Há mais algumas qualidades que quero partilhar aqui, para qualquer pessoa disposta a ser um grande líder.

 

Cumpra sua palavra, defenda sua causa

A integridade é a primeira característica de um grande líder. Fazer exatamente o que se propôs não é um mero detalhe. É só o mais importante.

Temos a oportunidade de sermos líderes em qualquer ambiente, até mesmo dentro de casa. Imagine um pai que diga para o filho ser respeitoso com a namorada, e minutos depois, grita com a esposa na frente de todos. Que respeito e confiança ele angaria desse filho?

No meio corporativo não é diferente. Se um líder incentiva sua equipe a percorrer um determinado caminho, rumo a um objetivo, e demonstra sua crença na equipe e em sua ideia, isto é motivador.

Mas, e se na primeira vez que algo der errado, o “líder” for o primeiro a duvidar do seu plano de ação e até mesmo da equipe? Denotará imaturidade e falta de coerência, desmotivando a todos.

 

In medium virtus: equilíbrio e humildade

“No equilíbrio encontra-se a virtude”, já falavam os grandes sábios da antiguidade.

Equilíbrio emocional não é só manter a calma e o controle. É passar este equilíbrio para outros membros da equipe, quando as ações necessárias são ousadas, ou dependem muito da eficiência da equipe para darem certo.

Um bom líder sabe que a harmonia da equipe depende de como ele passa suas diretivas. Também sabe que cabe a ele orientar os colaboradores – sempre em particular- caso não estejam cumprindo seu papel no grupo.

Ainda assim, quando tudo dá certo, não puxa as glórias para si, e divide com a equipe. Como numa orquestra, a harmonia entre as partes depende do regente, e a correção de cada instrumentista, também. Mas o resultado final é fruto da interação de todos.

 

Acreditar em si mesmo

Já vimos que um grande líder precisa saber ouvir seus interlocutores. Precisa também ser íntegro, coerente com seus propósitos, equilibrado emocionalmente e humilde.

E para que tudo isto aconteça a autoconfiança precisa estar presente. Diferente do orgulho – ferramenta do ego para se autopromover – a autoconfiança é fruto da autoanálise, e quem a possui sabe bem aonde estão suas qualidades e suas fraquezas também.

Por saber reconhecer estes dois polos de força em si, também consegue identificá-los nos outros. Um grande líder sabe tirar o melhor de cada um por enxergar no indivíduo a sua frente um potencial específico, que será usado dentro da equipe.

Mesmo que ocorram erros durante um processo, o líder que tem autoconfiança fará a correção de rumo em ações específicas, sem prejudicar ninguém e sem desmotivar a equipe. Sua confiança motiva quem está sob seu comando a continuar.

A liderança pode ser desenvolvida por qualquer pessoa. Porém, para isso é preciso ter vontade, esforço e muita dedicação. Todos nós temos este potencial latente em nós mesmos, se quisermos desenvolvê-los. Basta decidir trilhar a caminho do autoconhecimento, e usar as ferramentas certas para desenvolver seu potencial.

Deixe um comentário

Nome
E-mail
Website
Comentário